Protesto reúne 8 mil em Recife, dizem lideranças; PM não divulga balanço

Em Recife, cerca de oito mil pessoas participaram dos protestos contra o governo federal, de acordo com números dos organizadores dos Movimentos Vem para a Rua e Estado de Direito, que coordenaram a ação. A concentração, iniciada às 14h, aconteceu na praia de Boa Viagem, na Zona Sul da capital pernambucana, uma das áreas mais nobres da cidade. A marcha durou pouco mais de duas horas e percorreu 3,5 quilômetros da orla. No último dia 15 de março, segundo a PM e organizadores, os protestos no Recife reuniram cerca de oito mil pessoas.

MONICA BERNARDES, ESPECIAL PARA AE, Estadão Conteúdo

12 Abril 2015 | 18h25

O major Antônio Vieira, da PM, que comandou as atividades da corporação durante o protesto, informou que não seria divulgado balanço com números de manifestantes. Não houve registro de confrontos. Ainda segundo Diego Lajedo, da coordenação do Estado de Direito, o movimento calcula que cerca de 40 mil pessoas circularam pela região da concentração do protesto ao longo da tarde.

Três trios elétricos e um boneco gigante do juiz Sérgio Moro foram disponibilizados pela organização. Vestidos de verde e amarelo, muitos manifestantes carregavam cartazes com frases contra a corrupção e mensagens cobrando a recuperação da Petrobras e o afastamento da presidente Dilma Rousseff. Apenas um pequeno grupo fez menção à defesa de uma intervenção militar. Outras dezenas de participantes apostaram no uso de fantasias e adereços.

A empresária pernambucana Tânia Viana carregava um banner com a foto da presidente Dilma com os dizeres. "Em favor do Brasil, diga ao povo que não fico. Renuncio já". Já a aposentada Liliana Dutra improvisou um boneco de uma ratazana, batizada de "Rata BanDilma, mãe do Petrolão", em alusão à petista.

Do alto do carro de som, os discursos tiveram um tom duro e pediram o afastamento imediato da petista do poder. "Não há condições de a presidente continuar a frente do governo. Aliás, ela mesma já terceirizou sua gestão. A economia está na mão do ministro Levy e a articulação política caiu no colo do vice-presidente Michel Temer. Se ela não tem um papel de comando, o que está fazendo no governo?", questionou Diego.

Das janelas de prédios próximos, diversos moradores deram demonstrações de apoio aos manifestantes. Alguns penduraram bandeiras do Brasil nas janelas. Outros optaram por fazer uma chuva de papel picado. Durante o trajeto, um jovem que vestia uma camisa vermelha e usava um adesivo da presidente Dilma Rousseff, foi hostilizado pelos manifestantes. Um grupo fez xingamentos contra o rapaz e jogou ovos em sua direção. O rapaz acompanhava a marcha do jardim de um dos prédios da orla. Alguns policiais militares se colocaram na frente do imóvel para inibir os ataques.

Pelo menos dois parlamentares da bancada federal de Pernambuco estiveram presentes ao ato. Os deputados Augusto Coutinho (SD) e Bruno Araújo (PSDB) circularam pela concentração e acompanharam parte da marcha. "O governo federal fez com que a sua máquina pública fosse usada em prol de um projeto político de uma forma indecorosa, imoral. O povo brasileiro está indignado e mostra essa indignação em todos os cantos do Brasil, por onde a gente anda", disparou Coutinho.

Mais conteúdo sobre:
protetsosrecife

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.