Protesto pede impeachment de Temer e 'diretas já'

O ato começou com uma homenagem ao líder da revolução cubana Fidel Castro, morto nesse fim de semana aos 90 anos

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2016 | 19h52

A Frente Povo Sem Medo levou milhares de pessoas à Avenida Paulista na tarde deste domingo para se manifestar contra a PEC do Teto, pedir o impeachment do presidente Michel Temer e eleições diretas já.

“Não dá para o senhor Michel Temer continuar no comando do Brasil sentado naquela cadeira lá no Planalto. Temer não tem mais condições, vai embora Temer. Renuncie”, cobrou o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos.

Organizadores e a Polícia Militar não divulgaram estimativas de público.

O ato começou com uma homenagem ao líder da revolução cubana Fidel Castro, morto nesse fim de semana aos 90 anos.

Em todos discursos os oradores lembraram as declarações do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero que, à Polícia Federal, disse ter sido pressionado por Temer para intervir junto ao Instituto de Patrimônio Artístico d Histórico Nacional (Iphan) para liberar a construção do edifício La Vue, em, Salvador, embargado por estar em área de patrimônio histórico, onde o ex-ministro da secretaria de Governo Geddel Vieira Lima tem um apartamento.

Além de Boulos, participaram do ato o senador Linbergh Farias (PT-RJ), o presidente da Central única dos Trabalhadores (CUT) Vagner Freitas, o vereador eleito Eduardo Suplicy (PT), os deputados Ivan Valente e Luiza Erundina (PSOL) e a presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Carina Vitral.

“Está na hora de fazer greve para tirar este governo. A nossa bandeira é 'diretas já'. Este Congresso não tem legitimidade (para eleger um presidente)”, disse Freitas.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.