Protesto de sem-terra bloqueia fazenda no MS

Mais de mil trabalhadores sem-terra bloquearam hoje todos os pontos de entrada e saída da Fazenda Teijin, com área de 29 mil hectares, situada no município de Nova Andradina, Mato Grosso do Sul. De acordo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), cerca de 960 manifestantes são ligados à Confederação dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e os outros 400 ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST).O superintendente regional do Incra, Luís Carlos Bonelli, disse que a maioria dos sem-terra aguarda a desapropriação do imóvel há três anos, mas existem famílias do MST acampadas há mais de cinco anos. Os integrantes dos dois movimentos reivindicam maior rapidez no processo que está parado no Poder Judiciário, para o assentamento de 1.500 famílias no local.A demora, segundo Bonelli, se deve a uma Ação Civil Pública impetrada na Justiça Federal, pelo Ministério Público Federal, rejeitando a desapropriação e considerando o imóvel impróprio para a reforma agrária. Ainda de acordo com o superintendente, a fazenda é perfeitamente adequada para o assentamento de 1.500 famílias, conforme demonstram laudos técnicos."As terras da Teijin, são melhores que as do Assentamento Casa Verde, vizinho, que tem 24 mil hectares e é ocupado por 471 famílias de assentados. Portanto a decisão sobre a Teijin depende apenas do Poder Judiciário", afirmou.A Polícia Militar foi orientada a acompanhar de perto o movimento e somente agir em caso de extrema necessidade. Segundo os coordenadores do protesto, não há previsão para o término. Ninguém entre ou sai da propriedade rural, garante Edson Tolloti, um dos coordenadores do MST.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.