Altamiro Silva Junior/Estadão
Altamiro Silva Junior/Estadão

Protesto contra governo Dilma reúne cerca de 250 pessoas em Nova York

Brasileiros se reuniram na Times Square, principal ponto turístico da cidade nos Estados Unidos

Altamiro Silva Junior, O Estado de S. Paulo

13 de março de 2016 | 17h35

O protesto contra o governo de Dilma Rousseff superou a previsão dos organizadores e reuniu cerca de 250 pessoas em Nova York neste domingo. Por duas horas, os brasileiros reunidos na Times Square, principal ponto turístico da cidade, pediram a saída de Dilma, a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, defenderam a Operação Lava Jato e elogiaram o juiz responsável pelo caso, Sérgio Moro.

Os protestantes, vestidos de verde e amarelo, alguns com a cara pintada com as cores da bandeira nacional, cantaram o Hino Nacional e falaram frases como “Moro, guerreiro do povo brasileiro” e “Fora PT, leva a Dilma com você”, além de segurarem faixas e cartazes com expressões como “impeachment já”, “Dilma renuncia” e “Lula na prisão”. A organização do evento estima que este é o protesto contra Dilma e o PT que reuniu mais gente em Nova York desde que as manifestações contra o governo começaram.

A manifestação na maior cidade dos EUA reuniu brasileiros que moram na região de Nova York e também atraiu turistas que visitavam a cidade. “É importante estar solidário com o povo brasileiro nesse momento tão difícil que o país está passando”, disse Mirna Germano, natural do Ceará, mas que mora em Nova York há 25 anos e trabalha na área de saúde. “É muito triste ver um país com tanto potencial como o Brasil simplesmente desaparecendo.”

O brasileiro Jaime Pereira, que puxava os gritos e ajudou a organizar o encontro, avalia que o Brasil está em “uma situação terrível”. “Não tem como a Dilma governar mais, não tem jeito desta organização criminosa comandar o país”, disse ele, ressaltando que a corrupção se alastrou em Brasília. "É preciso moralizar os três poderes."

A manifestação em Nova York chegou a ter um princípio de confusão, quando um homem começou a defender a permanência de Dilma no cargo, foi vaiado e acabou sendo retirado pela polícia.

Além de Nova York, estão previstos protestos hoje em mais seis cidades dos Estados Unidos. Entre elas, Los Angeles, Boston, Orlando e Houston, no Texas. 

Tudo o que sabemos sobre:
ProtestoNova YorkDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.