Protesto contra fechamento de bingos reúne 1.500 no Rio

Cerca de 1.500 funcionários de bingos do Rio de Janeiro reúnem-se na Praça da Cinelândia, no centro, em um ato de protesto à medida provisória do governo federal que impediu as atividades do setor no país. Organizado pela Força Sindical e pela Associação de Bingos do Estado do Rio de Janeiro, o protesto conta ainda com a presença de políticos e militantes do PDT.Os manifestantes seguirão da Cinelândia para o Aterro do Flamengo, onde vão embarcar em 80 ônibus para participar do ato público de amanhã em Brasília. A Força Sindical espera reunir cerca de 30 mil funcionários de bingos na capital federal.O presidente da Força, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, participa da manifestação e rechaça a proposta da CUT de criar um programa de seguro-desemprego para estes trabalhadores. "Não tem que falar agora em seguro-desemprego, pois estes trabalhadores ainda estão empregados", afirmou.Paulinho disse que vai se reunir com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e aos presidentes da Câmara, João Paulo Cunha, e do Senado, José Sarney, para pedir que eles intercedam para reabertura das casas de jogos. "Se há bandidos no ramos dos bingos, o governo tem que mandar prendê-los. Não é possível que o governo não possa fiscalizar a atividade deles", disse. De acordo com a Associação de Bingos do Estado do Rio de Janeiro, os 42 estabelecimentos do Estado empregam 6 mil funcionários. Paulinho informou que foi acertado com os empresários a manutenção dos empregos por 30 dias.

Agencia Estado,

02 de março de 2004 | 11h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.