Protesto contra ACM em Feira de Santana

Estudantes, sindicalistas e parlamentares de oposição voltaram a protestar na Bahia contra o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), pedindo a sua cassação. O ato desta vez ocorreu no centro da cidade de Feira de Santana, a 108 quilômetros de Salvador, para onde ACM se dirigiu no final da manhã, com o objetivo de participar da inauguração da nova sede do Centro de Assistência aos Profissionais de Transportes, batizada com o nome do seu filho, o deputado Luís Eduardo Magalhães. A Polícia Militar fez uma barreira em frente ao prédio, mas não houve confronto.Um pequeno grupo de universitários e professores da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), junto com representantes dos sindicatos dos bancários, dos metalúrgicos e outros ligados à Central Única dos Trabalhadores, levaram faixas e cartazes de condenação a Magalhães. Não faltaram os velhos slogans da esquerda baiana: "1, 2, 3, ACM no xadrez". Alguns vereadores do PT e PCdoB, além do deputado estadual Luís Bassuma (PT) também participaram do ato, organizado a poucos metros do prédio onde a cerimônia foi realizada. ACM passou incólume diante dos manifestantes, que não atiraram nenhum objeto em direção do senador. A PM não interveio e, por volta das 12h30, os manifestantes se dispersaram pacificamente. Abatido, Magalhães disse que, se o deputado Luís Eduardo estivesse vivo, não o deixaria passar por essa situação difícil. "Vocês podem imaginar, no momento que eu vivo, a falta que ele me faz", disse. "Ele tinha competência e habilidade para impedir que seu pai fosse vítima do maior linchamento político feito na História do País", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.