Prossegue impasse entre índios e agricultores em Pernambuco

A resistência de cerca de 20 famílias de trabalhadores rurais de permanecer numa área indígena, onde hoje existe o assentamento Capoeira do Barro, em Floresta, sertão de Pernambuco, a 880 quilômetros de Recife, deixou o clima tenso neste sábado na cidade. Desde a última quarta-feira, 400 índios da tribo Pipipan invadiram o assentamento e exigem a retirada das famílias assentadas, já que as terras foram reconhecidas pela Funai. Os assentados afirmam que somente deixarão o local quando o Incra colocar as famílias em outro assentamento e construir as casas. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Floresta, Ricardo Souza, a situação se complicou por causa da indefinição da Funai e do Incra em decidir o destino das famílias assentadas. "Os índios estão retomando uma área deles, mas os trabalhadores não podem ficar sem suas casas", disse. De acordo com o presidente do sindicato, uma reunião já está marcada para a próxima semana entre representantes do Incra, Funai, trabalhadores e índios para decidir a questão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.