Proposta para proibir doação empresarial é jogada política, diz FHC

'Depois da porta arrombada eles querem fechar a porta?' afirmou o ex-presidente sobre o PT durante evento para líderes empresariais

ELIZABETH LOPES E PEDRO VENCESLAU, Estadão Conteúdo

19 Abril 2015 | 14h41

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ironizou, há pouco, a decisão do Diretório Nacional do PT de proibir doações empresariais como forma de coibir escândalos como o do petrolão. "Depois da porta arrombada eles querem fechar a porta?" E disse que isso não da, "é uma proposta forma de momento, uma jogada política."

Na avaliação de FHC, é preciso primeiro que o PT explique se houve realmente abuso no uso desses recursos. E disse não saber se o seu partido, PSDB, também vai fazer essa limitação.

Apesar da crítica ao PT, o ex-presidente tucano rechaçou a tese defendida por alguns setores e até políticos que o PT deveria acabar. "Eu sou contra porque o PT é um partido importante, contribuiu em muitos momentos da política brasileira", frisou, dizendo que não se dá democracia extinguido partido político.

"O PT tem que coibir os abusos que ele próprio fez, a sociedade tem que ser contra esses abusos e corrupção, mas não se pode fechar o PT, não tem sentido."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.