Proposta lei contra preconceito a portadores do vírus da aids

O coordenador do Programa Nacional de DST-Aids, Paulo Teixeira, sugeriu nesta quarta-feira a criação de uma consolidação de leis para que tratem do preconceito contra pessoas portadoras do vírus da aids. Ele avalia que o estigma em torno da doença, embora tenha diminuído de forma expressiva nos últimos anos, ainda é constatado em vários setores, incluindo profissionais de saúde. "É o momento certo para essa consolidação. Se fosse há alguns anos, talvez considerasse o recurso pouco eficaz."O deputado Fernando Gabeira fez algumas restrições à proposta de Teixeira. "Podemos estudar o assunto, mas essa medida é menos importante do que ações educativas."Durante sua participação no seminário Preconceito e Discriminação Contra as Pessoas que Vivem com HIV Aids, realizado em Brasília, Teixeira deu como exemplo de preconceito a exigência feita pelo Exército do teste de aids no momento da promoção."O Exército é muito receptivo aos projetos de prevenção. Mas essa exigência feita na promoção precisa ser revista", completou.Preconceito foi o tema escolhido pela Organização Mundial de Saúde para o Dia Mundial de Luta contra a Aids, celebrado no último domingo."Fico feliz que agora falam da gente, dos soropositivos. Depois da ênfase na prevenção, veio a preocupação com a nossa qualidade de vida", afirmou Ana Paula Prado, da RNP+, organização não-governamental de pessoas com o vírus.Entre as formas de preconceito, Ana Paula citou as dificuldades das mulheres soropositivas para engravidar. "Há uma grande patrulha para não termos filhos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.