Proposta de exame para médico recém-formado é polêmica

A possibilidade, anunciada pelo Conselho Federal de Medicina, de instituir um exame para definir se os médicos recém-formados estão aptos a exercer a profissão, não teve ampla aceitação.Para José Erivalder Guimarães de Oliveira, presidente do Sindicato dos Médicos do Estado de São Paulo, essa prova não vai resolver o problema, que é a má-formação dos alunos. ?É preciso trabalhar na causa, e não no efeito?, diz.Isso seria conseguido com uma avaliação periódica não só dos alunos, mas também do corpo docente, dos equipamentos e da grade curricular.Não há dúvida de que existem médicos sendo formados sem a qualidade desejável, que trabalham e colocam em risco a vida da população, afirma Eleuses Vieira de Paiva, presidente da Associação Médica Brasileira (AMB).?É lastimável que o ministro Paulo Renato (da Educação e Cultura) não tome uma posição?, diz. Na sua opinião, os cursos que vêm recebendo conceito D e E por anos seguidos devem ser fechados. ?Se o MEC avalia e não faz nada, está sendo conivente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.