Proposta de contribuição dos inativos é um equívoco, diz Aécio

O presidente da Câmara dos Deputados, Aécio Neves, considerou um "equívoco" a volta da proposta do governo que prevê a contribuição da previdência dos funcionários públicos inativos. A idéia foi levantada pela equipe econômica do governo para possibilitar o cumprimento do novo acordo com o FMI, que prevê aumento de superávit primário este ano e em 2002. De acordo com Aécio Neves "nós vamos ter de nos esforçar em outras fontes para captar esses recursos, já que o retorno dessa matéria é um equívoco num momento como este", afirmou. Segundo ele, a expectativa é de que no momento em que a crise argentina for atenuada haverá impacto positivo em relação à renovação do acordo com o FMI. O presidente da Câmara participou de solenidade de inauguração do campus Aloysio Faria, da Fundação Dom Cabral, em Nova Lima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.