Promotoria de Jundiaí investiga aquisição de área por sem-terra

A Promotoria de Justiça da cidade de Cajamar, interior de São Paulo, abriu um inquérito civil para investigar a compra da Fazenda São Luiz pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). A aquisição da área tem como objetivo assentar 60 famílias do MST.Segundo a promotoria, a ação procura obter maiores informações sobre os motivos que levaram o órgão a se interessar pela compra do espaço, localizada na região da Serra do Japi, mesmo com a reprovação da Fundação Itesp (Instituto de Terras do Estado de São Paulo). Além de informações mais detalhadas, a medida pretende buscar garantias do órgão de que não haverá danos ambientais na região com o assentamento das famílias.O documento elaborado pela promotoria também deixa abertura para uma eventual apuração da Controladoria Geral da União sobre uma possível manipulação de valores de indenização, caso ocorra a desapropriação da terra.A assessoria de imprensa do Incra informou que a instituição deverá se pronunciar nos próximos dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.