Promotoria confirma compra de voto praticada por assessor de Petecão

Francisco Bezerra foi flagrado com R$ 30 mil neste fim de semana

Itaan Arruda,

27 de outubro de 2012 | 14h04

RIO BRANCO - Francisco Bezerra, assessor parlamentar do senador Sérgio Petecão, foi levado neste final de semana para a sede da Polícia Federal por ter sido flagrado com R$ 30 mil, dinheiro que seria usado para compra de votos. O promotor eleitoral Rodrigo Kurti acionou a Justiça eleitoral por meio da juíza da 1ª Vara, Maha Manasfi e Manasfi que autorizou o cumprimento do mandado de busca e apreensão. O promotor eleitoral Rodrigo Kurti solicitou apoio da Polícia Civil para o cumprimento da ordem da juíza e acompanhou pessoalmente a operação de flagrante.

O trabalho de monitoramento iniciou com o saque do dinheiro realizado na sede da Caixa Econômica Federal (por volta das três da tarde de sexta-feira). De lá, o grupo partiu para a casa de um dos quatro assessores do senador. Os policiais civis e o promotor esperaram. O mesmo grupo de assessores saiu da residência, agora em outro veículo. Só então, foi realizado o flagrante. Havia R$ 15 mil com os assessores de Petecão.

Todos os cuidados foram tomados para que o veículo não fosse violado e atrapalhasse o trabalho dos policiais federais, instituição responsável pelas investigações. Na Polícia Federal, o carro foi periciado. Durante o depoimento prestado ao delegado plantonista, o assessor quase convence o delegado plantonista de que a situação apresentada pela promotoria e pelos policiais "não configurava crime". Os assessores apresentaram contas com faturas que seriam vencidas durante o fim de semana. Eles alegavam que pegaram o dinheiro para pagar essas dívidas.

Caderno com nomes

Foi quando a Justiça Eleitoral fez cumprir mais um pedido de busca e apreensão. Desta vez, na casa onde os assessores de Petecão entraram para trocar de carro.

Lá, foram encontrados pelos peritos mais R$ 15 mil e um caderno escolar com mais de quatro folhas cheias de nomes de eleitores e os respectivos telefones. Todo o material foi encaminhado para a Justiça Eleitoral que deve julgar o procedimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.