Promotor considera legal a prisão de Rainha

O promotor de justiça Leonardo Augusto Gonçalves considerou legal a prisão em flagrante do líder do MST no Pontal do Paranapanema, José Rainha Júnior, de 41 anos, detido numa blitz quinta-feira, portando uma escopeta calibre 12. Segundo o promotor, o porte dessa arma é punido com pena de reclusão de dois a quatro anos, o que impede o delegado de arbitrar fiança. "O flagrante foi regular e a autoridade policial agiu certo ao prender o acusado", disse.Gonçalves recusou-se a analisar os pedidos de relaxamento da prisão e concessão de liberdade provisória feitos pelo advogado de Rainha, Hamilton Beloto Henriques, porque não foi juntada a procuração.Os pedidos ainda serão analisados pelo juiz da Comarca de Teodoro Sampaio, Atis de Araújo. Caso a prisão seja mantida, o advogado entrará com pedido de habeas corpus no Tribunal de Alçada Criminal, em São Paulo. Henriques defende a tese de que seu cliente foi vítima de uma armação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.