Promotor confirma que dados do PT eram acessados no RS

Sargento Cesar Rodrigues de Carvalho espionou dados do diretório do Partido dos Trabalhadores

Elder Ogliari

04 de setembro de 2010 | 18h29

PORTO ALEGRE - O promotor de Justiça Amilcar Macedo confirmou neste sábado que dados de diretórios do Partido dos Trabalhadores (PT) eram acessados pelo sargento Cesar Rodrigues de Carvalho, que trabalhava no setor de inteligência da Casa Militar do governo do Rio Grande do Sul até o final de agosto e na Secretaria de Segurança do Estado desde então.

 

O militar também espionou informações de um ex-ministro do governo Luiz Inácio Lula da Silva e de um senador, de diferentes partidos. Os nomes não foram revelados, mas possivelmente sejam os de Tarso Genro (PT) e Sérgio Zambiasi (PTB). A finalidade de acesso aos dados ainda não foi esclarecida.

 

Carvalho foi preso preventivamente na sexta-feira por suposta participação em esquema de extorsão de exploradores de caça-níqueis mediante repasse de informações antecipadas sobre ações de fiscalização. A investigação apontou que entre as informações do Sistema de Consultas Integradas do Estado que o sargento acessava também estavam dados de um partido e de diversos políticos.

 

Em nota divulgada na sexta-feira, a Casa Militar informou que vai requisitar informações ao Ministério Público e Polícia Civil para análise e possível instauração de inquérito policial-militar. O secretário de Segurança Pública, general Edson Goularte, admitiu que o sistema "às vezes é mal usado por pessoas que têm a senha autorizada" e afirmou que haverá sanções "àqueles que porventura tenham feito uso inadequado" da ferramenta. A governadora Yeda Crusius e o PT ainda não comentaram o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.