Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Projeto que vai criar a liderança da maioria na Câmara também prevê novo cargo para oposição

Função de líder da oposição teria sido incluída na proposta após promessa de Rodrigo Maia a oposicionistas durante a campanha para recondução à presidência da Casa

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

16 Março 2017 | 16h28

BRASÍLIA - O plenário da Câmara dos Deputados deve votar na próxima semana o projeto de resolução formalizando a Liderança da Maioria, cargo criado para acomodar os peemedebistas descontentes com a falta de espaço no governo. O texto prevê também a criação de mais um cargo: a Liderança da Oposição.

Atualmente, situação e oposição são representados pelas figuras do líder do governo e do líder da minoria, sendo o primeiro criado em 1989 e o segundo formalizado em 2012. Segundo fontes, a função de líder da oposição foi incluída na proposta porque os oposicionistas teriam recebido essa promessa do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) durante a campanha para recondução à presidência da Casa e agora eles estariam ameaçando atrapalhar a criação da Liderança da Maioria. Procurado, Maia não só negou a informação como disse que atendeu a um pedido do deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) na semana passada. Maia explicou que optou por equilibrar as representações na Câmara, já que o governo teria duas posições (líder do governo e da maioria) e a oposição apenas uma (líder da minoria).

A resolução cria uma estrutura política de atuação para as duas novas lideranças e permite a indicação de nove vice-líderes. O tempo de orientação das bancadas em plenário vai variar de três a 10 minutos, considerando o critério de proporcionalidade do número de membros do grupo. O texto não menciona o número de cargos de assessoria que cada uma das lideranças terá direito, mas ressalta que a resolução "não implica aumento de despesa".

Atualmente o líder do governo é o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), que é o responsável pela interlocução política entre o Palácio do Planalto e a Câmara. O líder da minoria é o petista José Guimarães (CE), que é incumbido de organizar a estratégia de atuação dos oposicionistas na Casa. O novo cargo de líder da Maioria ficará com Lelo Coimbra (PMDB-ES). Os partidos contrários ao governo não anunciaram ainda quem ocupará a Liderança da Oposição. Não se sabe ainda qual será o papel prático dos novos líderes em plenário.

A ideia era votar a urgência do projeto de resolução ontem, dia seguinte ao envio pela Procuradoria Geral da República (PGR) dos pedidos de abertura de inquérito no Supremo Tribunal Federal contra políticos citados nas delações dos ex-executivos da Odebrecht. Com o clima de apreensão rondando os corredores da Câmara e o quórum baixo para uma quarta-feira, a votação foi adiada. Maia afirmou que deixou o projeto de resolução para votar na próxima semana porque após a votação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o plenário ficou vazio. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.