Projeto muda jornada de motoristas de caminhão e ônibus

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira o substitutivo do Senado ao projeto de lei 2660/96, que proíbe os motoristas de ônibus e de caminhão de dirigir por mais de quatro horas sem intervalos.Segundo a proposta, os motoristas terão direito a descanso de uma hora, após quatro de direção. Quem deixar de cumprir a determinação estará sujeito a uma multa de R$ 180. A reincidência sujeitará o infrator a pagar o dobro desse valor. Além disso, o projeto prevê que os motoristas profissionais são obrigados a ter, a cada dia, 12 horas ininterruptas de descanso.Sindicato criticaO caminhoneiro e diretor do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos do Estado de São Paulo (Sindicam), Bernabé Rodrigues, afirma que a idéia é inviável na prática. Segundo ele, em viagens longas (de cerca de 1.000 km) pelo interior do Brasil, o motorista muitas vezes não tem onde parar com segurança. "Além disso, vai ser difícil fiscalizar o cumprimento da regra."Rodrigues defende a jornada de 12 horas com uma hora de almoço e jantar. De acordo com ele, restrições a viagens noturnas são mais importantes para a segurança do profissional do que obrigar o motorista a descansar a cada quatro horas durante o dia.O projeto aprovado nesta quinta-feira segue agora para discussão nas comissões de Trabalho, Administração e Serviço Público e de Constituição e Justiça (CCJ), segundo informou o Ministério dos Transportes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.