Programas vão incluir moradores de favelas do Rio

O governo federal vai incluir moradores dos complexos de favelas do Alemão, da Penha e da Maré, na zona norte do Rio, em programas sociais como vale-gás e bolsa-escola.O anúncio foi feito pela secretária nacional de Ação Social, Wanda Engell, em reunião com representantes dos governos estadual e municipal, dos moradores das favelas e da comissão de jornalistas que acompanha a investigação da morte do jornalista Tim Lopes. Ele foi capturado por traficantes no Complexo do Alemão, e morto na Grota, no Complexo da Penha.Pela proposta inicial, somente a Penha seria beneficiada. Mas os moradores protestaram. ?Terá que morrer um jornalista em cada comunidade para que o poder público olhe por nós??, indagou o líder comunitário Jorge João da Silva, o Jorginho, da organização não-governamental SOS Complexo do Alemão. ?É como se o Tim Lopes tivesse doado a vida dele para que a nossa pudesse melhorar. Espero que ninguém mais precise doar vidas?.A secretária aceitou a sugestão de incluir Alemão e Maré nos projetos. Wanda Engell informou que será feito um cadastro das famílias de cada uma das favelas, para o levantamento das necessidades de cada região. ?Não temos um retrato dessas comunidades, apenas dados genéricos?, afirmou.Wanda ressaltou que hoje as favelas são alvos de ações sociais ?pulverizadas, paralelas? dos governos municipal e estadual. A idéia dela é coordenar essas ações. As famílias serão classificadas dentro de um Índice de Desenvolvimento Familiar, criado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que caracteriza as famílias de acordo com o grau de pobreza.Depois de um ano, as pessoas serão entrevistadas novamente para que o governo possa saber se a vida daquela família melhorou.A comissão de jornalistas que acompanha o Caso Tim Lopes espera ter um representante das federações do Comércio, Indústria e Transporte no próximo encontro com Wanda Engell. Eles querem discutir com empresários o encaminhamento profissional de jovens que estão sendo capacitados na ocupação social do governo do Estado, iniciada no Complexo do Alemão.A comissão marcou para sexta-feira, dia em que se completam dois meses da morte de Tim, uma manifestação na Cinelândia, no centro do Rio. Eles vão cobrar das autoridades o fato de o traficante Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, continuar foragido. Ele é o principal suspeito da morte do jornalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.