Programa que analisa finanças de Valério pode ter sido sabotado

Usado pela CPI dos Correios para cruzar as informações da movimentação financeira de Marcos Valério Fernandes de Souza com a de assessores de parlamentares do Congresso Nacional, o programa de computador I2 pode ter sido alvo de sabotagem. Segundo o relator da CPI dos Correios, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), o programa foi desligado incorretamente durante o fim de semana, ocasionando a perda de parte do trabalho com o cruzamento das informações sobre o valerioduto."O programa foi desligado sem as cautelas necessárias. Estamos investigando para saber se foi desligado, propositalmente ou não, de forma errada. Perdemos o trabalho e tempo e agora vai levar dois dias para recuperarmos os dados", explicou Serraglio. O I2 é um programa de computador usado pelo serviço secreto inglês. Para a CPI dos Correios, o programa cruza dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho com a movimentação financeira de Valério. A Rais identifica funcionários contratados pela Câmara nos últimos cinco anos.A uma semana da entrega do relatório final, Serraglio afirmou que a CPI dos Correios "praticamente não avançou este ano" nas investigações. "Estamos consolidando as coisas que existiam. Se eu tivesse mais tempo, os resultados seriam mais proveitosos", disse o relator.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.