Programa oferece alternativa ao plantio de maconha

Lançado em fevereiro do ano passado, logo após o término da Operação Mandacaru, de repressão ao plantio da maconha em 15 municípios de Pernambuco e 5 da Bahia, o projeto Polígono Legal pretende dar opções de trabalho para os agricultores da região. Segundo o governo, em 2000 foram criados sete projetos de assentamento, beneficiando 486 famílias. Outras 300 estão sendo assentadas em áreas antes usadas para o plantio da maconha. A primeira ação do projeto foi recadastrar os imóveis rurais. Entre fevereiro e março de 2000, o Ministério do Desenvolvimento Agrário recadastrou 33.561 terrenos. "A linha principal do projeto era ampliar a presença do Estado na região", disse o ministro do Desenvolvimento Agrário, Raul Jungmann. "O recadastramento é importante porque não temos mais dificuldade para identificar os donos das terras. Se forem coniventes com o tráfico, sabem que perderão o terreno." Para este ano, a meta do ministério é criar 12 projetos, atendendo 826 famílias. "Outro eixo de desenvolvimento é o financiamento da agricultura. É preciso criar uma alternativa de trabalho." O programa Planta Brasil está investindo R$ 9 milhões no médio São Francisco, beneficiando duas mil famílias de agricultores. Na avaliação de Jungman, outro importante trabalho é o levantamento em 50 ilhas do Rio São Francisco, para avaliar quem são seu moradores e o que produzem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.