Programa nuclear da Marinha sofre corte de verbas de 25%

O orçamento da União para 2007 reduz em 25% a verba destinada ao programa de pesquisas nucleares desenvolvido pela Marinha no Centro Experimental Aramar, em Iperó. Os recursos recebidos este ano, de R$ 28,5 milhões, já foram considerados insuficientes para manter o ritmo do programa. Os R$ 21,6 milhões previstos para o ano que vem serão aplicados na instalação e em testes do protótipo de um reator nuclear que está sendo desenvolvido pelo programa. Por falta de verba, a Marinha anunciou recentemente a suspensão do projeto de construção do submarino nuclear brasileiro, também desenvolvido em Aramar. Para levar adiante esse projeto, seriam necessários R$ 130 milhões por ano. Já há dúvidas se os recursos orçamentários serão suficientes para a manutenção das pesquisas na área de tecnologia para uso naval e na consolidação do domínio do ciclo do combustível nuclear, outras metas da Marinha. Um oficial informou que as tecnologias da área nuclear exigem constante atualização, como as do setor de informática. "Se as pesquisas são desaceleradas, vamos ficar para trás." Este ano, foi concluída a construção do protótipo do reator nuclear - um modelo que pode servir tanto para o reator que vai equipar o submarino atômico, como para aqueles destinados à geração de energia elétrica. Falta, no entanto, a construção dos laboratórios que abrigarão o reator e permitirão que o equipamento seja testado. Os componentes do reator, encomendados a indústrias nacionais, aguardam a montagem em uma câmara especial. O corte de R$ 7 milhões no orçamento pode afetar esses investimentos. Há expectativa de que tenham sido apresentadas emendas no Congresso Nacional para ampliar a verba da Marinha. Isso só será conhecido quando for lido o relatório com as propostas dos parlamentares, no próximo dia 22. Em 2004, quando visitou Aramar, o então ministro da Defesa, José Viegas, entregou uma carta do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no qual este reafirmava seu "apoio" ao programa nuclear da Marinha.

Agencia Estado,

04 Dezembro 2006 | 20h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.