Programa Lighten UP faz americanos perderem 23 t de peso

Não há dietas complicadas, equipamentos de ginástica caros ou personal trainers. Os participantes do programa Lighten Up em 16 Estados americanos, do Maine ao Havaí, estão aprendendo a fazer escolhas saudáveis com ligeiras mudanças em seu modo de vida: beber um copo d?água a mais todo dia; comer mais legumes, verduras e frutas; subir escadas a pé ao invés de usar o elevador. Em apenas um Estado, eles emagreceram em grupo mais de 23 toneladas.O programa está fazendo diferença principalmente no Wisconsin, um Estado onde quase 58% dos habitantes estavam com sobrepeso ou obesos em 2002, e onde queijo, cerveja e embutidos eram praticamente os alimentos consumidos.?Não é uma coisa ameaçadora?, diz Sandi Tritz sobre dieta e exercícios, desde que se juntou ao Lighten Up Wisconsin. ?Eles (do programa) não são tão absurdos de achar que eu vou correr uma maratona.?Mais de 20.500 pessoas em todo o país estão envolvidas em alguma forma do Lighten Up, afirma Nicole Mueller, diretora de iniciativas na saúde da Wisconsin Sports Development Corp., uma organização sem fins lucrativos de administração de esportes, que gerencia a versão estadual do programa.Em Iowa, cerca de 12.000 membros perderam 23,5 toneladas de peso no ano passado, ou, a grosso modo, 1,8 quilos por pessoa na média, conta Kim Nanke, da Iowa Games, um grupo sem fins lucrativos que criou o primeiro programa Lighten Up em 2002.No Wisconsin, mais de 1.700 pessoas já haviam emagrecido uma média de 2,2 quilos, no meio do programa de cinco meses.Dois ou dois quilos e meio podem não parece muito, mas especialistas em saúde dizem que mesmo o menor dos progressos conta, porque pode transmitir aos participantes confiança para empenharem-se mais em dieta e exercícios.?Começar e perder dois quilos é melhor que não começar e ganhar dois quilos?, diz Mary Kay Sones, especialista dos Centers for Disease Control and Prevention, um órgão federal.Os participantes do programa do Wisconsin juntaram-se em equipes, controlando seu peso coletivamente em janeiro e março. Uma pesagem final no mês que vem determinará quais as três equipes ? de um total de 226 ? que mais perderam peso, merecendo reconhecimento estadual e medalhas.?Nós nunca vemos o peso individual?, diz Nicole. ?Eles não têm de sentir tão pressionados como indivíduos.?A cada semana, o programa oferece um desafio, como estacionar o carro mais longe do escritório, reduzir um por cento do leite (cortando cerca de 50 calorias por copo) ou usar condimentos de baixa caloria, como mostarda e vinagre, em sanduíches, em vez de manteiga ou maionese.Cada desafio elimina poucas calorias por vez, mas isto contribui para o geral, diz a dietista Cathy Alessi, uma especialista em nutrição do Food and Nutrition Information Center do Departamento de Agricultura dos EUA.Mudar para uma salada temperada com condimentos de baixa caloria faz emagrecer quase 2,25 quilos em um ano, ela garante. ?Pequenas mudanças demoram mais, mas quase sempre as pessoas as consideram mais eficazes.?Melissa Surek emagreceu no mínimo 4,5 quilos desde que começou o programa, em parte porque não se desencoraja.?É algo fácil quando você estabelece o que pode fazer, ?Ah, posso fazer isso por uma semana??, diz Melissa, que trabalha para uma clínica de emagrecimento em Medford.Outras programas de redução de peso parecem tê-la predisposto ao fracasso, como os que requeriam que sentasse e levantasse 100 vezes seguidas. ?Bem, nunca pude agüentar esses?, diz. ?O fato de este ser pouco a pouco, eu acho, é muito melhor.?Sandi Tritz, uma funcionária de escritório de 53 anos, de Marshfield, aprecia o apoio que obtém de seus seis colegas de grupo, todos colegas de escritório também. Sua equipe perdeu 10 quilos em março.?Estou achando que eles são capazes de se comunicar uns com os outros?, explica. ?Às vezes, tudo o que você precisa é um olhar.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.