Programa é só primeiro passo, destacam Neca e Rands

"Agora nossa fase será focada em ampliar ainda mais o diálogo, através da internet", afirmou Neca

CARLA ARAÚJO E ANA FERNANDES, Estadão Conteúdo

29 de agosto de 2014 | 17h09

Os coordenadores de programa de governo da candidata à Presidência Marina Silva (PSB), Neca Setúbal e Maurício Rands, afirmaram nesta sexta-feira que o programa que está sendo apresentado é apenas um começo das ideias que um eventual governo de Marina colocará em prática. "Temos consciência de que terminamos uma primeira fase desse programa. Agora nossa fase será focada em ampliar ainda mais o diálogo, através da internet", afirmou Neca, destacando que o programa apresentado hoje já "é fruto de um trabalho de muita participação" da sociedade.

Rands destacou que o programa ainda não está numa "estação de chegada definitiva". "E sim apenas em uma estação de uma caminhada de ouvir o Brasil", afirmou. Antes dos discursos de Neca e Rands foi apresentado um vídeo que lembrou a aliança entre Marina e Eduardo Campos em 5 de outubro do ano passado. Neca, que representa a Rede Sustentabilidade na coordenação do programa, destacou que desde então foi firmado um compromisso em torno de uma aliança programática com "três princípios básicos".

Segundo ela, um deles era manter a conquista da sociedade em relação à estabilidade econômica e inclusão social. "Os outros princípios foram a democratização da democracia e trabalhar na direção da desenvolvimento sustentável", acrescentou. Rands destacou que essa aliança programática está "ouvindo o Brasil" guiada por valores "que permeiam e configuram um projeto de País com o qual todos nós sonhamos: desenvolvido, com justiça social e sustentabilidade ambiental", disse.

O coordenador destacou alguns pontos do programa em sua apresentação como políticas de descentralização de recursos com a União, dando mais força aos municípios. Ele citou ainda propostas de universalização do saneamento, de ampliação de programas de moradia e responsabilização maior da União com a área da segurança pública.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.