Programa DST/Aids vai oferecer teste rápido para HIV 1 e 2

Até o final do ano, o Programa Nacional de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST/Aids) oferecerá o teste rápido de diagnóstico de HIV 1 e 2. Produzido e distribuído pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) através de um contrato de transferência de tecnologia assinado com a americana Chembio, o exame poderá reduzir em até 70% a contaminação em recém-nascidos. O anúncio foi feito nesta quarta, dia Mundial de Luta contra a Aids.A produção nacional em larga escala substituirá a importação e permitirá a economia de recursos do Ministério da Saúde, aumentando a oferta e facilitando o acesso ao exame nas regiões mais pobres. O resultado sai em dez minutos e não precisa de estrutura laboratorial para ser realizado, já que pode ser feito através da coleta de sangue. No exame convencional, utiliza-se soro ou plasma.Apesar do resultado não ser definitivo, mas uma triagem que precisará ser confirmada posteriormente, a expectativa, segundo a Fiocruz, é a de que seja possível reduzir de 50% a 70% a transmissão do vírus de gestantes que não tenham sido testadas no pré-natal para os recém-nascidos. Caso a triagem dê positivo, inicia-se o tratamento com antiretrovirais para reduzir as possibilidades de o vírus ser transmitido. Outra aplicação possível para o teste seria o uso por profissionais da área médica que se exponham ao HIV no trabalho, informa a Fiocruz.A programação do dia mundial da luta contra a Aids recebeu reforço a 220 metros de altura. Uma enorme fita vermelha com oito metros de comprimento por quatro de largura foi instalado na estação do bondinho do Pão de Açúcar no Morro da Urca. O laço, símbolo da campanha de combate à doença, ficará exposto durante uma semana. Ontem, cerca de 2 mil visitantes receberam camisinhas e folhetos educativos sobre doenças sexualmente transmissíveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.