Programa do PT propõe suspensão das privatizações

As propostas do PT para seu candidato a presidente ainda não foram definidas, mas uma boa amostra de suas linhas gerais pode ser observada no programa de reeleição à presidência do partido do deputado federal José Dirceu (SP). A "tese" de sua chapa para o diretório nacional petista é apoiada, entre outros, por Luiz Inácio Lula da Silva, pelo senador Eduardo Suplicy (SP) e pelos deputados Aloizio Mercadante e José Genoino.Intitulado "Um Outro Brasil é Possível", o ideário propõe a suspensão e auditoria do programa de privatizações do governo. "No setor energético poderão ocorrer a revisão de privatizações para que seja resgatado o planejamento estratégico e gestão integrada do sistema."O programa propõe os limites de ingerência do Estado. "A mediação, a regulação e a indução do Estado na economia são fatores decisivos na definição de suas novas atribuições", diz o manifesto. "O Estado também desempenhará um papel estratégico nas atividades de infra-estrutura, financiamento, ciência e tecnologia; em segmentos como petróleo, energia, transporte, saneamento, bancos, onde a presença de empresas públicas ainda é relevante, ela deverá ser preservada."Com relação à dívida externa, o texto diz que "será necessário denunciar o acordo com o FMI para liberar a política econômica das restrições impostas ao crescimento e à defesa comercial do País, estabelecer mecanismos transparentes de controle sobre a entrada e saída de capital, estimular a reinversão do investimento direto estrangeiro através da taxação das remessas de lucros e dividendos e bloquear as tentativas de re-estatização da dívida externa, reduzindo a emissão de títulos da dívida interna indexados ao dólar." Além de Dirceu, considerado favorito, cinco candidatos disputam a presidência do partido em eleição direta em setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.