Programa compara Dilma a heroínas da história mundial

Numa seleção de depoimentos de eleitores pró-Dilma, a petista ganhou status de personagem que entrará para a história

Daiene Cardoso, da Agência Estado

14 de outubro de 2010 | 14h27

SÃO PAULO - A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, foi comparada na tarde desta quinta-feira, 14, em seu programa do horário eleitoral gratuito, a famosas heroínas da história mundial. Numa seleção de depoimentos de eleitores pró-Dilma, a petista ganhou status de personagem que entrará para a história. "Quando a gente fala em Dilma, faz lembrar uma Anita Garibaldi, faz lembrar uma Madre Tereza de Calcutá, faz lembrar uma Joana D''Arc... Por quê? Porque todas essas mulheres ficaram na história, todas essas mulheres ultrapassaram sua época", disse um dos entrevistados.

Em seus 10 minutos de propaganda, Dilma destacou que o País passa pela maior transformação de sua história e que isso aconteceu "graças" ao governo Luiz Inácio Lula da Silva. "É esse projeto que represento nesta eleição, ou seja, minha candidatura não é fruto de ambição pessoal. Estou aqui para assegurar todas as conquistas do governo Lula", reforçou.

Após resumir as principais políticas e números do atual governo, Dilma afirmou que, no governo Lula, o Brasil virou um País que dá oportunidade a todos e que no governo de Fernando Henrique Cardoso e de José Serra (PSDB, então ministro do Planejamento e da Saúde) a desigualdade era maior.

Ela ainda afirmou que, à frente do governo paulista, Serra teria cortado verbas de programas sociais e criado "pedágios turbinados". "É muito importante comparar governos sim, e nós vamos comparar, número por número, casa por casa, obra por obra", avisou.

Dilma prometeu também continuar reajustando o salário mínimo com índices acima da inflação. "Nós começamos a construir um novo Brasil. É esse projeto que vou tocar adiante", reiterou. No final, Lula deu um breve depoimento, no qual diz que "não tem ninguém mais preparado (para governar) no Brasil que Dilma".

Emoção

O tucano José Serra apelou para um tom mais emotivo. "Hoje quero falar desse Brasil novo que eu sinto nas ruas", disse ele no começo do programa, ao contar que é abordado até por jovens nas ruas questionando sobre ética na política.

De olho no voto feminino, Serra destacou seus projetos voltados para mulheres nas áreas de habitação, educação, saúde e capacitação profissional. Beneficiadas dos programas habitacionais do tucano foram exibidas elogiando a nova moradia. "Serra vai fazer o mesmo pelo Brasil", ressaltou a campanha.

O candidato do PSDB se comprometeu em governar para as mulheres "com carinho". Ao pedir votos aos eleitores em geral, o tucano apelou para que os brasileiros deixem "esse novo Brasil nascer no coração".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.