Professores do Rio decidem continuar em greve

O Sindicato Estadual dos Profissionais de Ensino (Sepe) decidiu hoje, em assembléia realizada Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), manter a greve da categoria, que amanhã completa 64 dias. A paralisação dos professores da rede estadual de ensino é um dos principais problemas enfrentados pela administração petista, que assumiu o governo do Estado há pouco mais de um mês.Em protesto realizado na segunda-feira, grevistas invadiram o Palácio Guanabara, sede do governo. Hoje houve manifestações em diversos pontos da cidade, entre eles a entrada da secretaria de Educação e da Assembléia Legislativa do Estado. Os professores reivindicam o pagamento do Plano de Cargos e Salários em parcelas de até quatro vezes, no máximo, em vez de 13, como foi proposto pela governadora Benedita da Silva (PT). O piso salarial dos professores estaduais é de R$ 571,00. Com o plano, o valor subiria para R$ 1.067,00.Os professores programaram uma passeata no centro da cidade para a próxima quarta-feira, dia em que deverá ser realizada a próxima assembléia da categoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.