Professores de Campinas fazem protesto

Pelo menos 300 professores da rede municipal de ensino de Campinas participaram de um protesto contra a Secretaria de Educação da cidade. Eles se concentraram na frente da prefeitura, no período da manhã, para exigir a ampliação do prazo do concurso público que irá contratar 207 profissionais para cargos especializados.O Conselho de Diretores das Escolas Municipais de Campinas (Codem) alegou que o intervalo entre o anúncio do concurso, no último dia 3, e as provas, marcadas para o próximo dia 23, é muito pequeno e não permitirá que os candidatos se preparem adequadamente. Foram abertas vagas para supervisor, coordenador pedagógico, diretor, vice-diretor e orientador pedagógico, com salários entre R$ 2,3 mil e R$ 3,1 mil. À tarde, os professores promoveram uma passeata pelas ruas do centro da cidade. Segundo o Codem, 70% das 186 escolas municipais de Campinas, onde estudam 65 mil alunos, tiveram as aulas interrompidas. A Secretaria de Educação informou que não pode estender o prazo para as provas porque a lei eleitoral exige que as contratações sejam feitas até, no máximo, dia 6 de julho. A Secretaria argumentou ainda que a bibliografia indicada é básica e os professores não terão dificuldades para se preparar. Os interessados poderão se inscrever nos dias 15 e 16 e terão que pagar uma taxa de R$ 40,00. De acordo com a Secretaria, os 207 cargos são atualmente ocupados por professores substitutos, e o concurso foi aberto conforme determinação do Ministério do Trabalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.