Professores da UFC e da Unilab continuam greve no CE

Os professores da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) decidiram nesta segunda-feira continuar a greve iniciada por eles há 45 dias. Em assembleia geral resolveram rejeitar a proposta apresentada pelo Ministério da Educação (MEC). O MEC ofereceu reajuste salarial de 25% a partir de março de 2013. Os grevistas mantém a reivindicação de 40%.

LAURIBERTO BRAGA, Agência Estado

30 de julho de 2012 | 18h03

A ideia inicial do Sindicato dos Professores da UFC e da Unilab era fazer um plebiscito para decidir sobre a proposta do MEC, mas na assembleia a tese da consulta foi derrubada. A secretária geral do Sindicato, professora Marília Brandão, disse que a decisão dos professores cearenses será levada na quarta-feira para mesa de negociação com o MEC, em Brasília.

O Sindicato dos Professores da UFC e Unilab através de nota sinalizava com o final da greve, mas foi voto vencido. Os servidores da UFC, parados há dois meses, fazem nesta terça-feira pela manhã uma passeata pelos ruas centrais de Fortaleza.

Tudo o que sabemos sobre:
greveservidoresCE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.