Professores da rede estadual estão em greve em PE

Os professores da rede estadual de ensino estão em greve em Pernambuco pela implantação da última fase do plano de cargos e carreiras. A paralisação, decretada na quinta-feira em assembléia-geral, também se estende ao pessoal administrativo da educação. Eles querem porcentuais de aumento por tempo de serviço que variam de 12% a 70%, o que representa um aumento na folha de pessoal de R$ 8 milhões mensais. De acordo com o secretário estadual de Administração, Maurício Romão, o Estado pode conceder benefícios que não excedam R$ 3 milhões/mês.Hoje governo e grevistas têm uma nova rodada de negociações e Romão se mostra otimista quanto a um acordo. O resultado da reunião será avaliado em assembléia quarta-feira, quando a greve poderá ser mantida ou não. Pernambuco tem 26 mil professores ativos, 7 mil funcionários administrativos e cerca de um milhão de alunos na rede estadual de ensino em 1.054 escolas. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (Sintepe) calcula que 85% dos profissionais aderiram à greve.O salário bruto inicial de um professor de nível médio é de R$ 210,00; o de professor de nível universitário com licenciatura é de R$ 428,00 (150 horas/aula). Na primeira fase do plano de cargos e carreiras foram definidas as faixas salariais e os porcentuais adicionais concedidos aos professores que possuem títulos de aperfeiçoamento (nível médio) e pós-graduação (universitário).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.