Produtos da Philips são quebrados em ação no Piauí

Entidades estudantis e representantes de movimentos de jovens organizaram ontem manifestação contra os produtos da Philips. Eles quebraram vários aparelhos da marca em praça pública e pediram boicote à empresa, em protesto contra as declarações do presidente da Philips do Brasil, Paulo Zottolo - para quem, se o Piauí deixasse de existir, ninguém iria se chatear. As declarações foram publicadas no Valor Econômico.O ato foi realizado no centro de Teresina. Para os manifestantes, Zottolo deveria procurar conhecer o Estado em vez de dar declarações preconceituosas. A União da Juventude Socialista (UJS), facção jovem do PC do B, foi um dos organizadores do ato.Ontem, Zottolo se retratou: "Venho publicamente esclarecer que jamais tive a intenção de desqualificar o Estado ou seus cidadãos." A retratação pública era condição imposta pelo governador do Piauí, Wellington Dias (PT), para aceitar as desculpas. Zottolo explicou ainda que, "mal colocada por mim, a analogia foi a de que o desconhecimento que às vezes se tem sobre o Estado faz com que não se saiba avaliar a sua relevância no cenário nacional."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.