Procuradoria vai investigar reportagem sobre o uso da maconha

A matéria publicada no último número da revista Época, sobre o uso da maconha, repercutiu hoje no plano criminal. O procurador de Justiça, Nelson Lacerda Gertel, membro do Órgão Especial e secretário executivo da 1ª Procuradoria de Justiça, quer a responsabilização penal dos jornalistas e entrevistados, visando a identificar as quadrilhas de traficantes. Gertel enviou ofício à promotora de Justiça, Maria Tereza Penteado de Moraes, do Grupo de Atuação Especial de Repressão e Preservação da Lei Anti-Tóxicos (Gaerpa), para que tome as medidas necessárias. Segundo o procurador, a Lei Anti-Tóxicos reserva as mesmas penas destinada aos traficantes a toda e qualquer pessoa que ?indevidamente contribui de qualquer forma para incentivar ou difundir o uso indevido, ou o tráfico ilícito de substância entorpecente, ou que determine dependência química ou psíquica.Gertel destaca que ao longo da matéria da revista ?são identificados vários usuários da droga, todos pessoas de projeção social, ficando a forte impressão de que a matéria poderia ter sido sugerida ou efetuada por influência das poderosas quadrilhas que dominam o mercado do narcotráfico?.Para ele, é ?importante notar que jornalistas e usuários tiveram o cuidado de não identificar as quadrilhas de traficantes bem estruturadas e que efetuam reiteradamente a venda de tanta maconha?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.