Procuradoria rastreia dinheiro desviado no caso Sanasa

O Grupo Especial de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, começou a rastrear o dinheiro desviado dos cofres públicos no Caso Sanasa - escândalo de corrupção da Prefeitura de Campinas. Os promotores apuram se parte do dinheiro foi usada na compra de imóveis e de um shopping center em Miami, nos Estados Unidos, pela família do prefeito cassado Hélio de Oliveira Santos (PDT), o Dr. Hélio. O Ministério Público apura se houve desvios em contratos que somam mais de R$ 600 milhões.

RICARDO BRANDT, Agência Estado

13 de dezembro de 2012 | 09h21

A mulher de Dr. Hélio, a ex-primeira-dama Rosely Santos, é a principal acusada no processo que julga a suposta quadrilha formada no governo Hélio para fraudar contratos e cobrar propina de empresários na Sociedade de Abastecimento de Água e Esgoto de Campinas (Sanasa). O escândalo terminou com a cassação do prefeito, 11 presos, entre eles a ex-primeira-dama e o vice-prefeito Demétrio Villagra (PT), e 22 denunciados por formação de quadrilha e corrupção.

O delator do esquema, o ex-presidente da Sanasa Luiz Castrilon de Aquino, afirmou em depoimento à Justiça no mês passado que todos os contratos apurados eram alvo de cobrança de porcentuais que variavam de 5% a 12%.

Além dos imóveis e do shopping, são foco da investigação uma transportadora que esteve registrada em nome da ex-primeira-dama - a Solução Transporte e Logística, que tinha como sede um escritório político do prefeito - e imóveis rurais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
Caso SanasaCampinasinvestigação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.