Procuradoria pede novas eleições para governador em Roraima

José Anchieta Júnior (PSDB) e o vice, Chico Rodrigues (sem partido), tiveram mandatos cassados em dezembro acusados de crime eleitoral; pedido será avaliado pelo Tribunal Regional Eleitoral

18 de janeiro de 2012 | 14h44

A Procuradoria Regional Eleitoral em Roraima (PRE) formalizou o pedido de realização de novas eleições para governador no Estado dentro de 90 dias. O mandato do governador José de Anchieta Júnior (PSDB) foi cassado em 13 de dezembro do ano passado por crime eleitoral.

 

No pedido, protocolado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na segunda-feira, 16, a Procuradoria também confirmou o pedido de cassação de Anchieta e do vice-governador, Chico Rodrigues (sem partido), ambos acusados de arrecadação e gastos ilícitos na campanha eleitoral de 2010.

 

De acordo com o procurador eleitoral em exercício, Leonardo de Faria Galiano, não cabe a posse do segundo colocado no pleito, Neudo Campos (PP), porque o número de votos recebido não é suficiente para ser declarado automaticamente eleito pela Justiça Eleitoral. "Cabe ao povo, no exercício da soberania do poder que o constituinte lhe deu, dizer quem deve ocupar legitimamente o cargo de Chefe maior do Poder Executivo estadual", afirmou em sua manifestação.

 

O pedido será avaliado pelo TRE e pode entrar na pauta do tribunal a partir da próxima semana, de acordo com a Procuradoria. José Anchieta Júnior e Chico Rodrigues continuam no cargo até a decisão final.

 

Cassação. O Ministério Público Eleitoral (MPE) alega que José de Anchieta e Chico Rodrigues efetuaram gastos ilícitos e adquiriram 45 mil camisetas amarelas (cor da candidatura) no valor de R$ 247.500,00 com o objetivo de distribuir aos eleitores de Roraima. A acusação partiu de Neudo Campos (PP), candidato derrotado no pleito de 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.