Gilberto Nascimento|Câmara dos Deputados e Reprodução
Gilberto Nascimento|Câmara dos Deputados e Reprodução

Procuradoria denuncia deputado petista e ex-ministro de Collor na Lava Jato

Vander Loubet e Pedro Paulo Leoni estão entre os denunciados no âmbito da Operação Lava Jato por terem atuado, segundo os investigadores, no esquema do senador Fernando Collor junto à BR Distribuidora

Beatriz Bulla e Gustavo Aguiar, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2015 | 17h42

Atualizada às 18h20

BRASÍLIA - A Procuradoria-Geral da República (PGR) ofereceu denúncia nesta sexta-feira, 18, contra o deputado federal Vander Loubet (PT-MS) e mais quatro pessoas, no âmbito das investigações da Operação Lava Jato. Entre os denunciados está o ex-ministro Pedro Paulo Leoni (governo Fernando Collor). Todos são acusados pela prática dos crimes de organização criminosa, corrupção passiva no valor de R$ 1,028 milhão entre 2012 e 2014 e lavagem de dinheiro.

A organização criminosa teria atuado, segundo os investigadores, no esquema do senador Fernando Collor (PTB-AL) junto à BR Distribuidora. Em outra denúncia, oferecida em agosto, Collor foi acusado pela PGR de receber R$ 26 milhões entre 2010 e 2014 de propina por contratos firmados na BR Distribuidora, uma subsidiária da Petrobrás.

Além de Loubet e Leoni, foram denunciados os advogados Ademar da Chaga Cruz e Fabiane Karina Miranda Avanci e a esposa do deputado, Roseli da Cruz Loubet.

O deputado Cândido Vaccarezza (PT-MS) era investigado no mesmo inquérito, mas não foi denunciado pela PGR.

A denúncia foi protocolada em um dos 38 inquéritos da Lava Jato que tramitam na Corte e encaminhada ao gabinete do ministro Teori Zavascki, relator dos casos relativos ao esquema de corrupção na Petrobrás. O eventual recebimento da denúncia depende do aval da 2ª Turma do Tribunal e só deve acontecer após fevereiro, quando a Corte retoma os trabalhos após o recesso do Judiciário. O teor da denúncia ainda está sigiloso no STF.

Defesa. Os advogados de Loubet e de Leoni informaram que não vão se pronunciar até terem acesso ao conteúdo da denúncia oferecida pela Procuradoria.

O advogado Paulo Quesado, que representa Loubet e a esposa, Roseli Cruz informou que ainda não teve acesso ao processo, que é sigiloso. Ele afirmou que foi pego de surpresa ao saber do pedido contra o casal.

A defesa de Leoni foi informada pela reportagem da denúncia e também disse que, como não tem conhecimento do conteúdo do pedido, não irá se pronunciar a respeito. Os advogados dos outros dois investigados, Ademar Chagas da Cruz e Fabiane Karina Miranda Avanci, não foram encontrados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.