Procuradoria apura venda de passagens aéreas de deputados

Deputados federais podem estar vendendo passagens aéreas a que têm direito, transformando os créditos em dinheiro, sem utilizá-las para viagens. E essas mesmas passagens podem estar sendo revendidas por agências de turismo, mediante novo pagamento. A denúncia foi feita domingo pelo jornal O Diário do Norte do Paraná, de Maringá, citando os deputados Maurício Rabelo (PL-TO) e Milton Barbosa (PSC-BA). Com base nas informações, o Ministério Público Estadual instaurou inquérito e a Procuradoria da República em Maringá deve fazer o mesmo.O jornal publicou documentos, que seriam os bilhetes eletrônicos da Gol Transportes Aéreos, sobre uma passagem com reserva confirmada por Rabelo em 18 de agosto de 2005, em Brasília. No entanto, o mesmo bilhete foi vendido pela Katar Turismo, de Maringá, à Câmara Municipal maringaense, e utilizada pela vereadora Marly Martin Silva (PFL) para uma viagem a Curitiba no dia seguinte. Outra passagem, com reserva para o deputado Barbosa, em 1º de fevereiro deste ano, foi revendida pela mesma agência à prefeitura de Maringá. O prefeito da cidade, Silvio Barros (PP), usou-a para ir a Curitiba no dia 7 de fevereiro.A vereadora disse que foi pega de surpresa com as denúncias, embora na época da viagem ela tivesse estranhado que os valores do e-mail com instruções para a retirada da passagem e o efetivamente registrado no documento eram diferentes. Marly questionou e o preço foi corrigido, faturando-se o que estava no bilhete, que era menor. "Pelo que fiquei sabendo agora, parece que a passagem é vendida duas vezes", salientou a vereadora. "É mais um iceberg na roubalheira federal."ProvidênciasNesta segunda-feira, Marly pediu providências para a Procuradoria da República e para a Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público, além de ter enviado a documentação ao Conselho de Ética e ao Departamento de Controle de Contas da Câmara dos Deputados e à Corregedoria da Câmara de Vereadores. "É um absurdo", reclamou a vereadora. "Eu espero que seja tudo esclarecido." Além do prefeito e da vereadora, pelo menos quatro secretários municipais de Maringá teriam viajado com passagens compradas pelos dois deputados e revendidas pela Katar Turismo.O chefe de gabinete da prefeitura, Ulisses Maia, disse que a prefeitura já rescindira o contrato com a Katar Turismo, em agosto, em razão de outras possíveis irregularidades descobertas pela Secretaria de Controle Interno. A empresa não estaria repassando os descontos que conseguia com empresas aéreas, conforme constava da licitação. O caso já estava entregue ao Ministério Público Estadual e à Polícia Civil. "Sobre essa questão de passagens de deputados ninguém sabia", afirmou Maia. "Na documentação que nos chegava não aparecia qualquer referência."No gabinete do deputado Maurício Rabelo, a informação era de que a única pessoa que poderia dar as explicações era o assessor e filho do deputado, Galber Rabelo. A secretária disse que tentaria localizá-lo e que entraria em contato, o que não aconteceu. Já o deputado Milton Barbosa está internado para tratamento de saúde e a secretária informou que ele é a única pessoa autorizada a comentar casos como esse. A atendente da Katar Turismo afirmou que o proprietário, Valdir Furlan Júnior, "está nos preparativos de fim de ano". Ela disse que, se ele entrasse em contato, repassaria os telefones. Ao jornal maringaense, Furlan Jr. afirmou que só compra passagens de operadoras e companhias aéreas.O promotor da Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público de Maringá, José Aparecido da Cruz, disse que foi instaurado um inquérito civil para apurar as novas denúncias. A Procuradoria da República recebeu o pedido para apuração, mas ainda não havia distribuído. A assessoria de imprensa da Gol, em São Paulo, informou que "a empresa apenas vendeu os bilhetes aéreos em operações comerciais como faz aos milhares diariamente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.