Procuradoria apura desvios de R$ 15 milhões em 20 convênios em ministérios

Desvio foi apurado pelo Ministério Público Federal em 20 convênios firmados Ministérios do Turismo e das Cidades com prefeituras de Auriflama, Jales, Fernandópolis e Dolcinópolis, no interior de SP

Fausto Macedo, O Estado de S. Paulo

15 de agosto de 2013 | 21h47

O Ministério Público Federal apurou desvio de R$ 15,24 milhões por meio de fraudes em 20 convênios firmados entre a União – Ministérios do Turismo e das Cidades –, com quatro prefeituras do interior de São Paulo – Auriflama, Jales, Fernandópolis e Dolcinópolis.

A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 15, pela Procuradoria da República em São Paulo.

As fraudes foram descobertas no âmbito da Operação Fratelli, deflagrada no dia 9 de abril e que desvendou a Máfia do Asfalto – organização criminosa que se infiltrou na administração de pelo menos 78 municípios, provocando rombo estimado em R$ 1 bilhão nos cofres públicos.

Até agora, o procurador da República Thiago Lacerda Nobre já ajuizou 8 ações penais contra 38 denunciados. Alguns desses réus são processados mais de uma vez em processos distintos.

Entre os acusados estão o cabeça do esquema, empreiteiro Olívio Scamatti, que é réu em sete das oito ações penais, lobistas, servidores públicos e três ex-prefeitos.

A investigação mostra que empresários e lobistas corrompiam agentes públicos e fraudavam licitações para a contratação de serviços de pavimentação e recapeamento asfáltico. Essas sete denúncias já foram recebidas pela Justiça. Os réus são acusados de formação de quadrilha, fraude em licitação e falsidade ideológica.

Tudo o que sabemos sobre:
MPFoperação fratelli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.