Procuradores saem em defesa de delegados da Lava Jato

Por meio de nota, membros da força-tarefa do Ministério Público Federal responsável pelas ações da operação afirmam que a opinião dos policiais não afeta a investigação

Mateus Coutinho, O Estado de S. Paulo

13 de novembro de 2014 | 15h32

Os Procuradores da República da força-tarefa do Ministério Público Federal que atua nas ações da Operação Lava Jato divulgaram nota nesta quinta-feira, 13, em defesa aos delegados da Polícia Federal envolvidos na operação e que postaram nas redes sociais mensagens de apoio ao candidato do PSDB, Aécio Neves e críticas à Dilma, Lula e ao PT, durante o período eleitoral.

"Em nosso país, expressar opinião privada, mesmo que em forma de gracejos, sobre assuntos políticos é constitucionalmente permitida, em nada afetando o conteúdo e a lisura dos procedimentos processuais em andamento.", afirma a nota do MPF. A força-tarefa é composta de cerca de seis procuradores federais que acompanham as 12 ações penais decorrentes da Lava Jato na Justiça Federal do Paraná, além dos inquéritos que surgiram com a operação.

O caso veio à tona na reportagem do Estado desta quinta que mostrou que os delegados compartilharam em seus perfis no Facebook propaganda eleitoral do então candidato tucano que reproduzia reportagens com o conteúdo da delação premiada do doleiro Alberto Youssef. Neste depoimento, o doleiro mencionou que Dilma e Lula teriam conhecimento do esquema de desvios - o teor desses depoimentos está sob segredo de Justiça.

Os policiais ajudaram ainda a divulgar notícias sobre o depoimento à Justiça Federal de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, no qual disse que o PT recebia 3% do valor de contratos superfaturados da estatal.

"A exploração pública desses comentários carece de qualquer sentido, pois o objetivo de todos os envolvidos nessa operação é apenas o interesse público da persecução penal e o interesse em ver reparado o dano causado ao patrimônio nacional, independentemente de qualquer coloração político-partidária.", conclui o texto do MPF.

Veja abaixo a íntegra da nota:

"Os Procuradores da República membros da Força-Tarefa do Ministério Público Federal, diante do teor da reportagem "Delegados da Lava Jato exaltam Aécio e atacam PT na rede", publicada pelo jornal "O Estado de São Paulo" nesta data, vem reiterar a confiança e o apoio aos delegados, agentes e peritos da Polícia Federal que trabalham nessa operação.

 

Em nosso país, expressar opinião privada, mesmo que em forma de gracejos, sobre assuntos políticos é constitucionalmente permitida, em nada afetando o conteúdo e a lisura dos procedimentos processuais em andamento.

 

A exploração pública desses comentários carece de qualquer sentido, pois o objetivo de todos os envolvidos nessa operação é apenas o interesse público da persecução penal e o interesse em ver reparado o dano causado ao patrimônio nacional, independentemente de qualquer coloração político-partidária."

Tudo o que sabemos sobre:
Lava JatoPTPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.