Procuradores recorrem para manter denúncia contra Roseana

O Ministério Público Federal do Tocantins recorreu da decisão da Justiça Federal, que não aceitou a denúncia de envolvimento da ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL), nos desvios de recursos da Usimar Componentes Automotivos. A denúncia foi recusada pelo juiz da 2ª Vara Federal de Palmas, Alderico Rocha Santos.Na segunda quinzena de setembro, a Justiça Federal do Pará começará a ouvir treze acusados de envolvimento nos desvios da Usimar, entre eles o ex-presidente do Senado, Jader Barbalho e o ex-gerente de Planejamento do governo do Maranhão, Jorge Murad, marido de Roseana. A ex-governadora, que está hoje em campanha em Bacabal, interior de seu Estado, não quis comentar o assunto, mas assessores afirmaram que ela, após a rejeição da denúncia, disse que a justiça estava sendo feita.A Usimar recebeu R$ 44 milhões da extinta Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), mas nunca saiu do papel. Murad é acusado de ter intermediado as negociações com Jader para que o projeto fosse aprovado em tempo recorde na instituição. A ex-governadora presidiu a reunião do conselho deliberativo da Sudam quando o financiamento foi aprovado, mas o juiz Alderico Santos considerou que isso não era prova suficiente para que fosse denunciada e nem respondesse processo.Os procuradores Mário Lúcio de Avelar, do Tocantins; Pedro Taques, de Mato Grosso; Antônio Cavalcante Junior, do Maranhão; Nazareno Wolff, do Paraná e Ubiratan Cazzetta, autores da denúncia, recorreram da decisão na semana passada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.