Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Procuradores já têm provas de remessa ilegal de dinheiro no ES

A missão especial de combate ao crime organizado no Espírito Santo já têm provas de remessa ilegal de dinheiro para o exterior. Segundo os procuradores Ronaldo Meira de Vasconcelos Albo e José Roberto Santoro, foram quebrados pela Justiça Federal sigilos bancários de mais de oitenta pessoas que tiveram seus nomes usados como proprietárias de empresas.?Nós já estamos com essa documentação e estamos analisando neste momento. Antes, tínhamos apenas indícios de crime, agora temos provas. Os documentos obtidos até o momento indicam que a linha de investigação adotada pelo Ministério Público Federal está correta. A partir da próxima semana, novas denúncias serão feitas contra autoridades públicas e empresários?, disse o procurador, que preferiu não revelar os nomes alegando que isso poderia atrapalhar as investigações.Os papéis, segundo os procuradores, provam que pessoas investigadas pela missão utilizaram empresas e pessoas ?laranja? para enviar o dinheiro para bancos de outros países. Na última segunda-feira, os policiais federais realizaram uma operação em empresas de Vitória e Vila Velha. Foram apreendidos 80 computadores,pilhas de documentos, cofres, dinheiro, armas e munição. Em um dos cofres, a polícia encontrou R$ 1,5 milhão em dinheiro e cheques. Segundo o delegado Dagoberto Garcia, especialista na investigação de crimes de lavagem de dinheiro, os documentos, todos os computadores apreendidos pertencem a apenas um dos seis inquéritos instaurados pela Polícia Federal que fazem parte da missão especial. Todo material apreendido será analisado pelo Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal. O diretor do instituto, Eustáquio Márcio de Oliveiraestá em Vitória para coordenar o planejamento dos trabalhos. A Polícia Federal quer uma apuração rápida sobre o caso. Nos próximos dias virão três peritos em contabilidade e informática para a análise do material apreendido. A polícia espera recuperar arquivos que teriam sido apagados dos computadores. Amanhã, a cúpula da Segurança e Justiça do Governo federal estarão emVitória para acompanhar os trabalhos. Chegam pela manhã o secretário de Estado dos Direitos Humanos, Paulo Sérgio Pinheiro, o secretário executivo do Ministério da Justiça, Celso Campilongo, o secretárionacional de Justiça, Antônio Rodrigues de Freitas Júnior, e o secretário nacional de Segurança Pública, José Vicente da Silva Filho. Às 11 horas, eles se reúnem com o arcebispo de Vitória, Dom Silvestre Scandian, na Cúria Metropolitana. Também participarão do encontro ovice-prefeito de São Paulo, Hélio Bicudo, e o padre Agostinho, representantes da fundação Teotônio Vilela. Às 14h30, eles vão se reunir com a coordenação da missão especial, na sede da Polícia Federal e às 16 horas está marcada uma reunião com as entidades que compõem o Fórum Reage Espírito Santo.Além de lavagem de dinheiro e evasão de divisas, também o roubo de cargas será investigado no Espírito Santo. A CPI nacional do roubo de cargas estará no Estado na próxima semana. Durante dois dias, a CPI vai ouvir policiais que investigam os roubos e também pessoas presas, acusadas de formação de quadrilha. A CPI vai apresentar um relatório da situação em todo país no fim do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.