Procuradores do DF iniciam ação contra ACM e Arruda

Três procuradores da República no Distrito Federal encaminharam à Justiça Federal de Brasília ação civil contra os ex-senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF) e funcionários públicos, pelo suposto envolvimento na violação do painel de votações do Senado. Os procuradores José Diógenes Teixeira, Aldenor Moreira de Souza e Brasilino Pereira dos Santos pedem que todos sejam condenados por improbidade administrativa. Caso isso ocorra, eles estarão sujeitos à perda da função pública, suspensão dos direitos políticos por três a cinco anos e pagamento de multa de até 100 vezes o valor da remuneração recebida na época.Os integrantes do Ministério Público Federal também querem que todos sejam condenados a ressarcir as despesas realizadas pelo Senado para apurar a violação do sistema eletrônico na votação da cassação do ex-senador Luiz Estevão, no ano passado. Além de ACM e Arruda, são réus na ação dos procuradores os funcionários públicos Regina Célia Péres Borges, Ivar Alves Ferreira, Heitor Ledur e Hermilo Gomes da Nóbrega, e o técnico em informática Sebastião Gazolla Costa Júnior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.