Procuradora tenta barrar candidatura de Costa Neto por 'ficha suja'

Em 2005, candidato renunciou ao cargo de deputado federal para evitar a instauração de um processo por quebra de decoro parlamentar

Mariângela Galucci, da Agência Estado

13 de setembro de 2010 | 17h23

BRASÍLIA - A vice procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, pediu nesta segunda-feira, 13, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que impeça a candidatura de Valdemar Costa Neto ao cargo de deputado federal por São Paulo. Com base na Lei da Ficha Limpa, Sandra afirmou que o político não pode ser candidato porque, em 2005, renunciou ao cargo de deputado federal para evitar a instauração de um processo por quebra de decoro parlamentar.

Na época, foi criada uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar suspeitas de irregularidades envolvendo agentes públicos dos Correios. A vice-procuradora observou que na CPI surgiram indícios de ilícitos praticados por integrantes do Congresso. Depois, esses fatos ficaram conhecidos como o escândalo do mensalão.

"Um dos envolvidos com esses gravíssimos ilícitos - inclusive como figura de relevo - era, precisamente, o recorrido, Valdemar Costa Neto - que, inclusive, confessou ter recebido, irregularmente, valores para utilização em campanha eleitoral", afirmou Sandra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.