Procurador quer fim do 13.º na Câmara de BH

O procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Jarbas Soares Júnior, propôs ao Tribunal de Justiça ação direta de inconstitucionalidade pedindo anulação da lei que instituiu o 13º salário aos 41 vereadores da capital. Ele também pede a suspensão do pagamento do chamado benefício natalino previsto para o fim deste ano. Os vereadores recebem salário de R$ 9,2 mil e R$ 15 mil ao mês para custeio de gabinete. A Câmara afirma que o 13º salário "é garantido ao trabalhador pela Constituição".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.