Procurador que denunciou 40 do mensalão cancela entrevista

A entrevista do procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, marcada para o final da manhã desta quinta feira foi cancelada. O Ministério Público Federal não informou o motivo.O procurador-geral, que denunciou ao Supremo Tribunal Federal 40 pessoas por envolvimento no esquema do mensalão, iria explicar a segunda fase das investigações. A expectativa é de que a segunda etapa das investigações do MP, que ainda não tem prazo para ser concluída, deve citar outros envolvidos no crime, como os deputados Sandro Mabel (PL-GO), Roberto Brant (PFL-MG), Vadão Gomes (PP-SP), Wanderval Santos (PL-SP) e Josias Gomes (PT-BA) e o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG).Quando divulgou a denúncia, na terça-feira, Souza deixou claro que os dirigentes do banco BMG deverão ser incriminados nessa segunda etapa. Ao lado do Rural, o BMG foi o responsável pelos empréstimos simulados de R$ 55 milhões ao publicitário Marcos Valério. Nas 136 páginas da denúncia, Souza indica que pretende enquadrar os dirigentes do banco mineiro em pelo menos um crime: formação de quadrilha.Na quarta-feira, assessores do procurador-geral informaram que ainda não há nada que envolva o presidente Lula nas investigações e que continuidade das apurações não significa que o objetivo seja o de atingir o presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.