Procurador ligado a Janot sugere renúncia de Temer no Twitter

Vladimir Aras aponta 'solução adequada' no momento em que presidente é alvo de gravação sobre compra de silêncio de Cunha

O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2017 | 23h08

BRASÍLIA - O procurador da República Vladimir Aras, que faz parte do grupo mais próximo do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sugeriu nas redes sociais que a “solução adequada” seria a renúncia do presidente Michel Temer. Sem citar o nome do peemedebista, o procurador publicou mensagem com esse sentido em sua conta no Twitter logo após compartilhar vídeo do Jornal Nacional, da TV Globo, com a notícia de que o dono da JBS, Joesley Batista, gravou momento em que o presidente dá aval para comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha.

“Diante de uma denúncia tão grave, a solução adequada em qualquer lugar do mundo seria a renúncia”, escreveu Aras no Twitter. Poucos minutos antes, o procurador escreveu “Pau que bate em Chico...”, sem mais informações. A frase “pau que bate em Chico bate em Francisco” é uma expressão amplamente usada por Janot para apontar que a Lava Jato e a Procuradoria-Geral da República não fazem investigações seletivas.

Aras é secretário de Cooperação Internacional da PGR e acompanha Janot em viagens internacionais para negociar colaborações com outros países na Lava Jato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.