Procurador-geral estuda abertura de processo contra Azeredo

Para Antonio Fernando, embrião do mensalão começou com atuação de Valério na campanha do tucano

EUGÊNIA LOPES E SÔNIA FILGUEIRAS, Agencia Estado

30 de agosto de 2007 | 18h16

O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, estuda pedir ao Supremo Tribunal Federal a abertura de processo penal, até o final de setembro, contra o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG). Para o procurador, o esquema embrião do que atualmente é chamado de "mensalão" destinou-se ao financiamento, em 1998, da campanha do então candidato tucano Eduardo Azeredo ao governo do Estado de Minas Gerais. Na época, o hoje senador Azeredo foi derrotado nas urnas.Investigação feita pela Polícia Federal encontrou indícios de que houve uso de recursos públicos no caso do valerioduto mineiro. Aberto em dezembro de 2005, o inquérito da PF descobriu evidências da existência de esquema de distribuição de recursos a partir de empresas de Marcos Valério para financiar a campanha de políticos tucanos de Minas. Com os resultados obtidos pela PF, parte dos envolvidos poderá ser enquadrada nos crimes de peculato e lavagem de dinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.