Procurador-geral denuncia Mão Santa e outro deputado

O procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, ofereceu denúncia contra os deputados João Correia (PMDB-AC) e o senador Francisco de Assis de Moraes Souza (PMDB-PI), o Mão Santa. O primeiro foi por desvio e proveito próprio de dinheiro da Assembléia Legislativa do Acre entre 1996 e 1998, quando era deputado estadual. O segundo por contratação irregular de pessoal, na época em que era governador do estado do Piauí, em 1998.Segundo a Procuradoria-Geral da República, a verba desviada por João Correia seria destinada ao pagamento de serviços postais e de passagens aéreas. O deputado ainda é acusado de não ter declarado esses rendimentos no imposto de renda. Duas empresas franqueadas dos Correios emitiram faturas relativas a serviços postais no valor da quota a que deputados estaduais tinham direito e não prestaram o serviço.O Mão Santa, de acordo com a denúncia, teria contratado diversas pessoas para a Secretaria de Administração no Piauí, mas ninguém prestou qualquer serviço à administração estadual. Os contratados eram, em sua maioria, lideranças políticas de diversas regiões do interior do Estado, incluindo vereadores, prefeitos e ex-prefeitos de vários municípios, além de presidentes de diretórios municipais de partidos políticos. "Tais pessoas foram contratadas pela administração estadual, na qualidade de ´assessores fantasmas´ da Secretaria de Administração, com o propósito de conseguir apoio eleitoral nos respectivos municípios, visando à reeleição do primeiro denunciado?, afirma Antonio Fernando. Tal fato, frisa ainda, demonstra que a campanha política do ex-governador foi financiada, em parte, por recursos provenientes dos cofres públicos estaduais. As denúncias contra os dois parlamentares foram encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta quinta, Antonio Fernando Souza denunciou também o deputado federal José Janene (PP-PR) - um dos acusados de participar do esquema do mensalão - por crimes contra a ordem tributária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.