Procurador-geral da Colômbia defende deportação de Beira-Mar

O procurador-geral da República da Colômbia, Afonso Gomez Mendez, defendeu hoje a deportação do traficante brasileiro Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, para o Brasil. "Em geral, se uma pessoa tem uma condenação em um País, e somente processos em outro, o ideal é que essa pessoa cumpra a pena no País onde foi condenado", disse Mendez, depois de participar de uma palestra em Bogotá. "Isso seria melhor do que responder a um processo incerto no País em que foi preso".Beira-Mar, preso no sábado, continua depondo na sede da procuradoria. O depoimento começou ontem e, segundo a assessoria do órgão, não há prazo para seu término. O interrogatório do traficante recomeçou às 9 horas (11 horas de Brasília). Antes de falar, Beira-Mar foi examinado por um médico legista. Quando foi preso, ele estava com o braço direito engessado.Hoje à noite o superintendente da Polícia Federal do Amazonas, Mauro Spósito, chega a Bogotá e amanhã está sendo esperado o diretor-geral da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da PF de Brasília, delegado Getúlio Bezerra. Os dois policiais e o adido da PF em Bogotá, César Nunes, serão os responsáveis pela escolta do traficante, em caso de deportação para o Brasil. A expectativa é de que Beira-Mar possa retornar antes do fim da semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.