Procurador-geral critica greve e defende o diálogo

O procurador-geral da República, Cláudio Fonteles, defendeu hoje a continuidade das negociações do Judiciário com o Executivo e o Legislativo sobre a proposta de reforma da Previdência e condenou a paralisação aprovada pelos magistrados. Fonteles disse que como procurador-geral da República continuará dialogando com o Poder Executivo e com o Parlamento. "Portanto, o aceno com a greve é inadequado", avaliou o procurador, ao deixar a reunião do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Justiça, para discutir a proposta de reforma da Previdência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.