Procurador-geral abre investigação sobre caso Paulinho

Ele prometeu rapidez na análise de documentos e disse que pode pedir abertura de um inquérito no Supremo

FELIPE RECONDO, Agencia Estado

27 de maio de 2008 | 17h36

O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, abriu uma investigação interna sobre a suspeita de envolvimento do deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força Sindical, no esquema de desvio de recursos públicos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) desbaratado pela Polícia Federal na Operação Santa Tereza. Na sexta-feira, 23, o procurador recebeu do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, um CD com quase duas mil páginas da investigação feita pela vara judicial de São Paulo especializada em lavagem de dinheiro.     Veja também:  PF inclui Paulinho em organização criminosa  Veja quem são os suspeitos na Operação Santa Tereza   Veja o relatório da PF que liga Paulinho a contrato suspeito   Ouça grampos da PF que citam Paulinho   Antonio Fernando prometeu rapidez na análise dos documentos e afirmou que pode pedir a abertura de um inquérito contra o deputado no Supremo, caso haja elementos suficientes que indiquem irregularidades. "Quais as iniciativas (a serem tomadas) vão depender da convicção que esses documentos possam motivar", explicou. Caso Paulinho renuncie ao mandato - para evitar um processo de cassação no Conselho de Ética da Câmara -, essa documentação será devolvida à Justiça de São Paulo, porque ele não teria mais direito a foro privilegiado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.